sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Saúde e Bem Estar: A dieta sem glúten


Algumas pessoas fazem a dieta sem glúten por terem a doença celíacas, que é a intolerância ao glúten, e outras simplesmente para desinchar e eliminar os quilinhos extras. A dieta até funciona, mas como qualquer outra é preciso de acompanhamento e certos cuidados.


Saiba que a doença celíaca é uma inflamação que a pessoa pode ter no intestino delgado e que proporciona sintomas como diarreia, dor abdominal e náuseas quando ingeridos alimentos com glúten em sua composição, ou seja, que são feitos com farinhas de cereais, como o pão, bolacha, massa, pizza, biscoito, entre outros. O glúten é a principal proteína presente no trigo, na aveia, no centeio, na cevada e no malte. A sua importância na alimentação é muito relativa por ser uma proteína de baixo valor nutricional e não possuir todos os aminoácidos essenciais.



Esses alimentos são comuns no dia a dia e são bem calóricos, e quando ficam restritos na dieta, consequentemente, levam à perda de peso. O fato é que, de acordo com especialistas, a digestão do glúten é difícil. Ela acaba por distender o intestino, causando inchaço. Ao restringi-lo da alimentação, isso pode parecer a perda de peso, mas às vezes apenas são trocados alimentos, muitas vezes, industrializados por opções mais saudáveis.


Isso não significa que alimentos que não contém glúten são mais saudáveis ou menos calóricos. Muitas vezes eles podem conter poucas fibras solúveis, que contribuem para a saciedade e para a boa saúde do intestino. Portanto, a dieta sem glúten nem sempre será a solução para quem quer, simplesmente, perder peso, mas mais eficaz para aqueles que sofrem com a intolerância a essa proteína. É importante lembrar que o consumo balanceado de verduras, frutas, vegetais, aliado a uma dieta sem glúten pode ser benéfico, mas não apenas por conta da interrupção do consumo do glúten.


Alerta para as mulheres em relação às dietas da moda: nem sempre a mesma dieta pode ser benéfica para os mais variados tipos de pessoa, o ideal é ter um equilíbrio em relação ao consumo das proteínas, carboidratos e lipídios durante as refeições e manter o acompanhamento com um nutricionista qualificado.


Para os celíacos e adeptos dessa dieta não é preciso mais passar vontade de alguns alimentos que, normalmente, levam o glúten em sua composição. O amido de milho e outros tipos de alimentos sem glúten podem ser alternativas para quem sofre da doença. Leiam os rótulos das embalagens sempre!

Fonte: Fernanda Camargo - Coluna Bem Estar - do site Bolsa de Mulher

Bjinhos
Ana Paula Holanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário