segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O segmento de moda plus size no Brasil

O segmento de moda Plus Size é cada vez mais valorizado e reconhecido como um mercado em ascensão no Brasil e no mundo. Ao contrário daqui, nos EUA e na Europa o mercado é próspero, pois há um investimento a algum tempo, encontramos lojas exclusivas, além de outras que possuem grades de tamanho até as numerações maiores. Podemos observar em revistas femininas de moda importantes no Brasil modelos plus size estampando suas capas e conteúdos.

Aqui no Brasil, as lojas demoraram um pouco a entender que existem mulheres fora do “padrão”, mas que são vaidosas e querem se sentir belas e não somente usar vestidos grandões, normalmente pretos, camisões ou legging. Prova disso, principalmente no início da década, foi o crescimento de lojas exclusivas para as gordinhas com roupas do tamanho 42 ao 56, outras até com tamanhos maiores. Hoje, os empresários do setor perceberam que existe uma enorme demanda, para a compra de roupas de maior modelagem, de mulheres que buscam roupas de qualidade, com cortes atuais e em tamanho maiores, bem diferentes das peças GG que eram vendidas anteriormente, a maioria com cores apagadinhas e modelos extra folgados.

Ainda é complicado encontrar roupas com modelagem moderna, de tamanho acima de 46, mas existem lojas que já estão de olho neste mercado e  “correndo atrás” do lucro que os tamanhos maiores podem dar, até porque as mulheres que compram tamanhos maiores não são necessariamente as com excesso de peso. Elas muitas vezes, apenas não encontram roupas de acordo com suas formas, não esquecendo dos biótipos das brasileiras: curvas e mais curvas.

Há pouco tempo no Brasil, aconteceram lançamentos de coleções plus size em grandes lojas brasileiras, como é o caso da coleção Special For You by Preta Gil para a C&A (uma das maiores lojas de departamento brasileira) e também a coleção assinada por Fluvia Lacerda para a grife La Mafê. Outras grifes famosas não ficaram pra trás e também já aderiram o vestuário plus size em suas coleções. Com isso, a população “mais cheinha” (que é a maioria do mercado consumidor brasileiro)  ganhou mais uma opção, com roupas mais acessíveis, baratas e acima de tudo elegantes.

A ideia do movimento plus size no Brasil não é incentivar a obesidade, mas sim valorizar a beleza das formas femininas, as curvas das mulheres brasileiras e elevar a autoestima daquelas que até pouco tempo não viam muitas opções na moda. Para mostrar que as mulheres mesmo fora do peso podem e devem ser bonitas, chiques e elegantes em suas formas de belezas.


 Bjinhos


Ana Paula Holanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário