terça-feira, 24 de setembro de 2013

Dicas de saúde: “Escolhas inteligentes”... Será?


Dando umas voltinhas pelos blogs achei esse post interessantíssimo da Ana Carolina Pereira, do blog O Corpo é Meu, e resolvi postar aqui para vocês lerem. Trata-se das escolhas que muitas vezes achamos certas para comer, mas nem sempre é o certo para o que queremos, para o que o corpo "pede".

Já cansei de ler muitas vezes que não adianta enganar a fome comendo uma barrinha se você quer um pão francês sem miolo. O seu corpo se "revolta" e faz você comer a barrinha, o pão e às vezes mais. Falo isso por conta própria, pois muitas vezes troco o que quero (da forma saudável) pelo o que está escrito na revista.

Vamos ver abaixo o que a Ana Carolina escreveu pra nós:

"É comum esbarrar com esse tipo de figura por aí. Algumas delas de fato trazem opções interessantes e mostram que calorias não definem qualidade alimentar. Mas o grande problema delas, na minha opinião, é assumir que as escolhas são de fato iguais. Que comer um sanduíche de espinafre quando se está com vontade de comer um de mortadela dá na mesma.
 

Vou ilustrar com uma história verídica.
Saindo do consultório semana passada, resolvi passar na Kopenhagen pra tomar o famoso capuccino da loja. Já no caminho, estava antecipando o prazer que seria tomar algo quente e gostoso naquele final de tarde frio. Ao entrar, só havia eu e mais duas clientes, sentadas juntas. Uma delas pediu um café com leite grande, despejou dois saquinhos de adoçante e não parava de olhar meu capuccino, enquanto discutia com sua colega sobre o novo peeling que faria semana seguinte: será que vou ficar bonita mesmo, será que vou descascar muito, poderei usar base ou a pele ficará irritada, etc.
 
E ela era linda. De verdade. Pelo menos na minha opinião.
Acabamos nos dirigindo juntas ao caixa e a vendedora ofereceu a ela uma barrinha de chocolate ao leite que estava na promoção. A moça olhou para a amiga, como se buscando aprovação, e com um suspiro acabou aceitando.

Na minha cabeça, supus que desde o início a garota gostaria de ter escolhido o capuccino, mas tentou se satisfazer com o café com leite e adoçante. No fim das contas, acabou comendo o chocolate. 
 
Ela tentou fazer uma “escolha inteligente”. Mas será mesmo? Será que conseguimos burlar nossas vontades ou elas dão um jeito de nos pegar desprevenidos depois?
Que tal ouvirmos mais o nosso corpo?"


Fonte: Ana Carolina Pereira do Blog O Corpo é Meu

E aí, o que vocês acharam? Eu penso igual a ela e sou a favor de que menos é o suficiente e que mais é demais. Podemos comer de pouquinho em pouquinho e nos satisfazermos. Mas cuidado! Comer de pouquinho em pouquinho não quer dizer toda hora, mas sim pequenas porções nas horas certas.

Sou a favor da reeducação alimentar e de sentir-se bem.

Bjinhos, e como disse a nossa amiga: "Uma boa semana a todos!"

Ana Paula Holanda


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vitrine PSNM