domingo, 8 de novembro de 2015

Problemas de algumas magrinhas e gordinhas podem não ser diferentes em se tratando de peso


Por Ana Paula Holanda

Hoje olhando o meu facebook vi uma matéria de meu facefriend Xico Gonçalves que fala sobre as modelos magras no foco da mídia, onde falam mal de suas magrezas (clique aqui para ler a matéria "Problemas no paraíso"). 
Ela me chamou a atenção justamente por falar do peso contrário que sofremos no dia a dia: a busca por nos vestir bem e a busca de nos sentirmos bem diante das críticas.

Xico fala sobre o preconceito que as pessoas muito magras sofrem ao comprar uma roupa, pois nem sempre achamos roupas abaixo do 36, e pelos olhos da sociedade, que olham essas pessoas com maus olhos, os mesmos que olham nós que estamos acima do peso. 

Veja a matéria completa do Xico no link abaixo

Na foto da matéria mostra a atriz Angelina Jolie magérrima, e eu vejo isso com uma preocupação. Se olharmos filmes do início de sua carreira veremos uma magreza diferente da atual. Posso estar preocupada a toa, mas a pergunta sempre vem: será que ela está bem?

Eu sempre falo que excessos sempre fazem mal a saúde. 
Muitas pessoas são lindas com corpos normais, mas por imposição social acabam tendo distúrbios que levam a magreza excessiva ou ao excesso exagerado de peso.

Tem pessoas gordas que sedem a sociedade fazendo dietas absurdas, tomando remédios que fazem mal ou deixando de comer para emagrecer. Gente, essas coisas nem sempre dão resultados, falo por mim que já fiz de tudo e não emagreci e hoje estou emagrecendo por conta de estar me sentindo bem comigo mesma e por tratar um problema de saúde que descobri há 4 anos que é a resistência insulínica. Juntei a minha auto aceitação, a natureza do lugar onde estou morando (que me dá paz) e o tratamento médico e hoje estou 5 kg mais magra do que quando comecei. Até fazer caminhadas relaxantes, com o apoio de uma amiga, comecei a fazer. Sim tenho que emagrecer pra não correr o risco de ter diabetes, mas não preciso de muito, só voltar a gordurinha saudável que eu estava antes de minha segunda filha. 

Da mesma forma tem pessoas muito magras que querem engordar e não conseguem, sofrem com isso. Outro dia vi um vídeo de uma vlogueira linda falando que quer engordar e não consegue, e que está fazendo tratamento para isso, tomando remédios e fazendo dietas. Isso me lembrou uma amiga de minha adolescência que queria ter um corpo lindo, esbelto, estilo gostosona, mas não conseguia pois seu manequim não saia do 36, então ela passou a comer compulsivamente para engordar, fazendo com que passasse a ter compulsão alimentar e outros problemas de saúde.

Está na hora de pararmos de seguir a essa pressão e sermos felizes como somos. 
Nos anos 90 não existiam tantas pessoas muito gordas ou muito magras como hoje em dia, pois a magreza não era excessiva , a gordura não era excessiva  e a saúde era mais importante. As pessoas que eram magras queriam engordar e as gordas queriam emagrecer, mas isso não era primordial em suas vidas.

Temos que parar pra analisar o que é o certo e o que faz bem pra nós e sermos felizes.
O nosso corpo é a nossa moradia. Cuide dele com carinho. Pense nisso!


"Qualquer pessoa que estiver fora dos padrões propostos vai sofrer preconceito. É um absurdo. Somos todos iguais,, o que muda é a embalagem. Se a pessoa é saudável merece ter o peso que se sentir melhor magra ou gorda, o importante é estar com a autoestima em dia." Palavras de Xico Gonçalves.

Para ver a matéria de Xico Gonçalves Problemas no paraíso  clique aqui.

Bjinhos

Ana Paula Holanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário